BUSCA NO BLOG

quinta-feira, 19 de junho de 2014

Desculpe desapontá-la, mídia canadense, mas o Brasil não é só futebol e mulheres bonitas

Lençóis Maranhenses
Imagem: Rafael Mayrink Goes via Flickr
Como uma jornalista brasileira que vive no Canadá, fiquei preocupada com a matéria publicada ontem no site da CBC, uma das mais respeitadas redes de notícias daqui. Escrevi este post no meu blog em inglês e quero compartilhar para que vejam o que a mídia canadense anda publicando sobre o Brasil nesta época de Copa.

O título da matéria da CBC é World Cup: ‘Sexy Brazil’ sees explosion in teen prostitutes, que seria algo como Copa do Mundo: Sexy Brasil vê explosão de prostituição infantil. Lendo a matéria, fica claro que a equipe de reportagem não teve tempo de conhecer o Brasil, a cultura e nosso povo.

Vivendo em Vancouver há quase dois anos, aprendi que, ao contrário do que dizem, o Canadá é muito mais liberal com sexo do que nós, o que não interpreto como bom ou ruim. Apenas diferente. Por conta de críticas, uma das frases da matéria foi alterada horas depois de publicada.

Antes, escreveram "Sexy Brazil, known for its beautiful bikini-clad women and liberal approach to sex," que seria Sexy Brasil, conhecido por suas mulheres lindas de biquini e sexualmente liberadas. Depois mudaram para "Sexy Brazil, known for its beautiful women and liberal approach to sex,” algo como Sexy Brasil, conhecido por suas mulheres lindas e sexualmente liberadas.

Essa mudança na terminologia não amenizou o estrago. Não sei porque alguns estrangeiros insistem em falar sobre a sexualidade da mulher brasileira como se isso fosse notícia, e pior, associando os biquínis que vestimos e nossas belas mulheres a...prostituição?

Dias atrás, escrevi sobre uma palestra da escritora Chimamanda Adichie. Ela diz que "o problema com estereótipos não é que sejam falsos, mas incompletos. Eles tornam uma história a única história". Foi o que a rede CBC fez. Transformou o relato de uma garota entrevistada, que teria admitido se prostituir, num retrato do Brasil, o que é inaceitável.

Este não foi o único veículo a fazer isso. Tenho visto vários jornalistas estrangeiros cometendo erros absurdos ao se referir à cultura brasileira. Fazem isso porque não nos conhecem ou nos entendem. Não espero que saibam tudo. Também não sei. Mas eu pergunto, converso com a comunidade local e dedico tempo pra montar meu quebra-cabeças, especialmente se tenho que escrever sobre questões culturais.

Como jornalista, sei que nem sempre se tem tempo suficiente para botar uma matéria no ar ou mandar pro editor da forma ideal. Mas se você está nesta situação, não escreva sobre o que não conhece com o desejo de tornar essa "notícia" algo denso. Você vai ofender pessoas e desrespeitar uma cultura inteira, ou seja, fazer exatamente aquilo que torna o Canadá conhecido por não fazer—e o que me trouxe aqui por três vezes nos últimos dez anos.

A CBC Canadá não pode e não deve alimentar estereótipos, ainda mais num país que só sobrevive por conta do trabalho de imigrantes. Estou surpresa que estejam fazendo isso. A matéria é preconceituosa e se refere à prostituição como se fosse uma realidade que só existisse no Brasil. Claro, o resto do mundo é perfeito em todos os aspectos, inclusive o Canadá.

A última linha da matéria, com uma fala da garota, fecha o texto de forma grotesca: "‘Tell the girls in Canada’, she says, no longer shy, ‘not to get into this. It’s not a good life.’” Em português, algo como Conte para as meninas canadenses, ela diz, sem a mesma timidez, para não entrarem nesta. Não é uma boa vida.) De novo, um enfoque subjetivo e tendencioso.

Escrevi um texto parecido com este no blog em inglês, mas mandei uma mensagem para a CBC dizendo que tenho certeza de que ele poderiam fazer um jornalismo melhor do que este. Embora eu saiba que não farão o que eu gostaria, pedi que mudem o enfoque do texto ou removam a matéria do site em respeito aos brasileiros e ao trabalho que fazem aqui porque este foi péssimo.

Não fui a única. Outros amigos, inclusive canadenses, se indignaram e fizeram o mesmo pedido. Tenho lido vários comentários criticando o veículo porque fizeram com o Brasil o mesmo que fizeram com a Rússia e China na época das Olimpíadas: mostraram o lado negativo, quando o momento seria propício para fazer o contrário.

E mais: essas pessoas daqui escreveram em seus comentários que a CBC apontou, no Brasil, problemas que também existem aqui (prostituição, drogas e gravidez precoce), mas se esqueceram de que não conseguem resolver seus próprios problemas. Mas isso é assunto pro próximo post.

Nenhum comentário:

Postar um comentário